Top Postagens

sexta-feira, 9 de março de 2018

Preencha-me. E eu me adaptarei.


Tenho sentido o imenso desejo de te dizer apenas três palavras. Três profundas e simples palavras que causariam explosão nas muralhas de muitos corações. As três palavras mais fortes e carregadas de significados que alguém pode algum dia dizer, mas que geralmente nunca diz no dia certo. Palavras simples, porém poderosas, restauradoras e contraditoriamente devastadoras. 

Tu me devastas e me restauras já há dias. Tua ausência e silencio são gritos indecifráveis ao ouvidos do meu coração, desnorteadores dos sentidos que se pode haver na mente. Se é que se há sentido... Tu me fazes perder a razão numa constância incontável da tua ausência. Tu não te abres às traduções. Tua língua me deseja? Teu idioma eu desconheço. Um carinho, amizade, amor, desejo. Teu idioma eu desconheço. 

Por que tu não me permites decifrar teu silêncio, tua voz, tuas ações voluptuosas e metafóricas? Meu bem, meu ser é dotado das mais formidáveis capacidades de metamorfose. Da alma, do corpo, da mente... Tudo em mim ainda e para sempre é nada, algo meio vazio sempre à espera de um preenchimento. Algo sempre me falta e me capacita às adaptações. 

Poderia eu não adaptar-me a ti? Poderia. No entanto não tenho total certeza do que quero. Mas quero contigo o agora, que é tudo o que tenho, que me resta, que me sobra e que me preenche. O agora é falta. O agora é excesso. E é o que quero. Preencher meus vazios com os excessos. Permita-me, se for capaz. 

Eu te amo! 


Um texto de Aline Menezes, criadora do Blog O Quarto de Aline 

Um comentário:

  1. O vazio não é para sempre, na vida somos apenas peças de um quebra-cabeça e oque queremos na verdade preencher os espaços vazios das peças que faltam ou que um dia nos fizeram completo mesmo que por algum momento de um abraço, uma visita surpresa ou um sorriso mas, que agora se foram porque não sabíamos que fariam falta. Tudo em você sempre foi excessivo para mim o calo, o perfume, a paixão e nada mais me fara feliz a não ser o seu excessivo jeito de amar.

    ResponderExcluir