Top Postagens

sábado, 24 de fevereiro de 2018

Os Rios Turvos - Luzilá Gonçalves Ferreira

Olá querido leitor do Blog O quarto de Aline ! 

Vamos conversar sobre um assunto sério? Bem, antes de qualquer coisa, já vou te falando: eu não sou uma grande conhecedora da causa (feminismo), e sim alguém que busca ou tenta abrir o máximo de informações sobre o assunto. Certo? Informação dada, agora me sinto leve para conversarmos... 

Você já ouviu falar sobre literatura de autoria feminina? Posso até imaginar algumas respostas: “Agora lascou! O que mais vi na minha vida de estudante e de leitor foram escritoras que escrevem!” ou “Ai meu Deus, lá vem blá blá...”! Calma, querido leitor! O ‘de’ não está ali por acaso. Nesse espaço iremos falar da literatura ‘de’ autoria feminina. Sabe aquela em que vemos a mulher como a real protagonista da história?! Pois bem, vamos falar de medo, angústia, dor, etc., ou seja, o ser mulher! 

Para iniciarmos, vamos falar de uma escritora de Garanhuns-PE. Sim, nossa escritora tem sotaque e é o nosso rss. 

Luzilá Gonçalves Ferreira, escritora
Luzilá Gonçalves Ferreira nasceu em Garanhuns-PE, escritora, feminista, foi também pesquisadora nas áreas de Literatura escrita por Mulheres em Pernambuco e Imprensa Feminina, doutora em literatura, professora na Universidade Federal de Pernambuco, pesquisadora e membro do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambuco. 

Seu livro Os Rios Turvos narra a história de Bento Teixeira e sua esposa, Filipa Raposo. Tem início no século XVI e conta toda a trajetória de Bento, um judeu que para fugir da inquisição se torna um cristão novo, porém mesmo ao ‘aceitar’ a nova religião, ele não consegue se desfazer das crenças judias que carrega desde a infância. Ele teve a sua educação toda em seminários católicos, pois ainda pequeno foi aceito para estudar com os padres, assim aprendendo o latim e o domínio da língua que mais tarde o fizera ser mestre e ensinar para meninos. 

Bento Teixeira ainda na adolescência conhece aquela que se tornará a sua esposa Filipa Raposo, uma mulher bela de olhos claros, de personalidade forte, sedutora e provocadora. Esses atributos físicos e de personalidade faz com que o seu casamento já fragilizado pela fé extrema de Bento fique cada dia mais desagradável. Filipa era uma mulher extremamente bela e atraente e que possuía desejos sexuais (que para o seu marido era algo que “moças de família” não poderiam ter) a libido sexual de sua esposa deixava Bento cada dia mais enciumado e desconfiado da fidelidade do seu cônjuge. Bento Teixeira carregava em si varias inseguranças e deixava a sua esposa infeliz no casamento, pois ela não compreendia a falta de desejo sexual que ele possuía. Em uma noite após anos de casada ela se sentiu de fato desejada por aquele que um dia a desposara e para ela foi uma noite de alegria e inesquecível. 

A narrativa tem um misto de biográfico e ficção onde temos a presença de um narrador onipresente, ele conta detalhes ocultos como: pensamentos, sentimentos, etc. Os protagonistas da história de fato existiram e viveram em uma sociedade onde a religião e o professar da fé católica era de extrema importância. Podemos notar a presenta de dois espaços na narrativa o físico (os lugares) e o psicológico ( sentimentos, angustias, desejos, etc.) 
“Mas as funções habituais do espaço não se reduzem a influenciar a personagem ou a contribuir para a sua caracterização: destina-se, muitas vezes, exclusivamente a situá-la. Não se percebe, nestes casos, um nexo entre a personagem, a ação cumprida e o cenário em que a cumpre (...)” (LINS, 1976:101). 
Luzilá Ferreira traz esses espaços e narrativa de forma aprazível, assim estimulando o leitor a refletir a condição feminina através do tempo exposto, uma historia contada e narrada em um século distante traz em si uma familiaridade no século atual, pois as mulheres ainda carregam em si marcas do passado. 

Em suma o livro Os Rios Turvos, de Luzilá Gonçalves Ferreira, traz em seu contexto uma história de amor; desconfiança; ciúmes; poesia; etc., baseada em fatos reais e em pessoas reais, assim trazendo um regaste da inquisição e da religião. Um livro sem distinção de idades pois contem um resgate histórico que pode ser usado no auxilio das aulas de docentes de diversas matérias escolares.


Resenha pela colunista Nalva Martins

Nalva - Colunista no Blog
O quarto de Aline

Nenhum comentário:

Postar um comentário