Top Postagens

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Não desistirei

Olá, leitores. 

Quando Aline me deu a oportunidade de comentar sobre uma música qualquer, “I Won’t Give Up”, do norte-americano Jason Mraz, foi a primeira canção que me veio à cabeça. Não há nenhuma relação com qualquer sentimento passado, mas temos que assumir que a letra cantada é realmente graciosa. Para os que tem conhecimento da língua mãe do cantor, a melodia também ajuda na indução sentimental. É realmente fácil encantar-se pela performance do artista. Já para os que não compreendem de primeira, a tradução é ainda mais engrandecedora. 


O poema cantado, falo assim porque realmente fiquei encantado pela letra na primeira vez que ouvi, retrata quase extinto hoje em dia, em meados do século XXI: Amor verdadeiro. Não é unicamente por ser um sentimento nobre, mas também pela transcendência situacional explanada na “confissão amorosa”. Para começo, na primeira estrofe, percebemos a graça avistada pelos olhos do personagem principal, o amante, encontrando evolução na personalidade da amada, comparando à transformação enxergada nas estrelas. 

Na segunda estrofe, encontramos a parte que mais me encantou, talvez por similaridades nas palavras e atitudes, imprescindíveis na conservação de qualquer situação, a promessa de preservação do sentimento acima de qualquer circunstância. É notório que tal grandiosidade não é mais avistada com tanta facilidade, visto que as pessoas se intoxicaram com o vírus da incomplexidade. Entendam, não estou afirmando que tal atitude tenha sido extinta, mas é quase uma regra básica da nova juventude. Quando as ocasiões complicarem, fuja, independentemente, o que não tem nada de similar com o envolvimento exposto na música. 

As duas estrofes seguintes nos revelam uma qualidade importantíssima na sustentação do relacionamento amante-amada, espaço. Assumo que é realmente muito complicado para alguém que tem sentimentos, entender que as pessoas, por mais recíprocas que sejam, precisam ter o seu espaço. Indivíduos, qualquer que seja o gênero, desenvolvem, em intensidades diferentes, a necessidade de estarem a sós e terem uma vida, assim como o próprio desejo por estar junto. Não é que isso seja falta de afeição ou qualquer outro empecilho, mas relacionamentos duradouros ocorrem em casais equilibrados e que respeitam a individualidade de cada um. Sabemos, não somos, e nunca seremos, perfeitos. Somos humanos e isso basta para findar qualquer ideia de integridade. No fim, a renovação do prometido. Desistir, jamais. 

Na última estrofe da música, excluindo as repetições incansáveis da negação acerca da não desistência, encontramos o real motivo da rejeição a tal normalidade atual. Os pontos principais para manter um sentimento puro vivo no peito estão expostos nesse parágrafo. São eles, empatia, desejo de crescimento, compreensão, companheirismo e conhecimento próprio, antes mesmo de compreender um relacionamento por completo. 

Por fim, uma frequente reiteração, necessariamente pulsante no peito e na mente de quem deseja algo mais intenso, é realizada. “Não vou desistir de nós. Não vou desistir de nós. Não vou desistir de nós”. 


I Won't Give Up 

When I look into your eyes 
It's like watching the night sky 
Or a beautiful sunrise 
There's so much they hold 
And just like them old stars 
I see that you've come so far 
To be right where you are 
How old is your soul? 

I won't give up on us 
Even if the skies get rough 
I'm giving you all my love 
I'm still looking up 

And when you're needing your space 
To do some navigating 
I'll be here patiently waiting 
To see what you find 

Cause even the stars, they burn 
Some even fall to the earth 
We got a lot to learn 
God knows we're worth it 
No I won't give up 

I don't wanna be someone who walks away so easily 
I'm here to stay and make the difference that I can make 
Our differences they do a lot to teach us how to use 
The tools and gifts we've got yeah we got a lot at stake 
And in the end, you're still my friend 
At least we didn't intend 
For us to work we didn't break, we didn't burn 
We had to learn how to bend without the world caving in 
I had to learn what I've got, and what I'm not 
And who I am 

I won't give up on us 
Even if the skies get rough 
I'm giving you all my love 
I'm still looking up 
I'm still looking up 

I won't give up on us 
God knows I'm tough, he knows 
We got a lot to learn 
God knows we're worth it 

I won't give up on us 
Even if the skies get rough 
I'm giving you all my love 
I'm still looking up 


Não Desistirei 

Quando olho em seus olhos 
É como observar o céu de noite 
Ou um belo amanhecer 
Eles carregam tanta coisa 
E como as estrelas antigas 
Vejo que você evoluiu muito 
Para estar bem aonde está 
Qual a idade da sua alma? 

Não desistirei de nós 
Mesmo que os céus fiquem violentos 
Estou lhe dando todo meu amor 
Ainda olho para cima

E quando precisar de seu espaço 
Para navegar um pouco 
Esperarei pacientemente 
Para ver o que você descobrirá

Porque até as estrelas queimam 
Algumas também caem sobre a terra 
Temos muito a aprender 
Deus sabe que somos dignos 
Não, eu não desistirei

Não quero ser alguém que vai embora facilmente 
Estou aqui para ficar e fazer a diferença que posso fazer 
Nossas diferenças, elas fazem muito nos ensinando a usar 
As ferramentas e os dons que temos, sim, há muito em jogo 
E no fim, você ainda é minha amiga 
Pelo menos não tivemos a intenção 
Para funcionarmos, não quebramos, não queimamos 
Tivemos de aprender a ceder sem ceder à pressão do mundo 
Tive que aprender o que tenho e o que não sou 
E quem sou 

Não desistirei de nós 
Mesmo que os céus fiquem violentos 
Estou lhe dando todo meu amor 
Ainda olho para cima 
Ainda olho para cima

Não desistirei de nós 
Deus sabe que sou forte, ele sabe 
Temos muito a aprender 
Deus sabe que somos dignos 

Não desistirei de nós 
Mesmo que os céus fiquem violentos 
Estou lhe dando todo meu amor 
Ainda olho para cima



Resenha musical pelo escritor e colunista Marcos A. Junior

Nenhum comentário:

Postar um comentário